Selo Verde ASABRAS -


SELO VERDE ASABRAS


O PRIMEIRO PROGRAMA SUSTENTÁVEL DE NEUTRALIZAÇÃO DE CARBONO NA AVIAÇÃO MUNDIAL



1 – O QUE É?


O “SELO VERDE ASABRAS”, é uma iniciativa pioneira de sustentabilidade, com soluções inteligentes e inovadoras para promover o desenvolvimento humano e a interatividade social entre a Aviação Brasileira e seus usuários. Vai permitir a compensação de carbono do setor aéreo brasileiro de maneira sustentável e eficiente, reflorestando nossas florestas, gerando empregos, renda e dando exemplo ao mundo. 

No momento em que o mundo procura alternativas para minimizar o impacto das pegadas ambientais da aviação, o Brasil é o único país do mundo com todos os recursos para neutralizar suas emissões em curto prazo, dependendo somente nossa própria vontade para iniciarmos. 

Essa é mais uma ação da ASABRAS, que vai permitir com que os usuários da Aviação Brasileira sejam os únicos no planeta a contribuir, de maneira espontânea, para neutralização do carbono gerado por seus voos. 

O “SELO VERDE ASABRAS”, é uma iniciativa inédita no país e no mundo entre todos os programas verdes do segmento aeronáutico, se diferencia pela forma inteligente e prática da implantação, pelas vantagens oferecidas e pela opção de escolha oferecida a passageiros, usuários e empresas aéreas.  

O objetivo do programa é um reflorestamento sustentado que compense parte ou a totalidade das emissões de nossos voos, dependendo somente de nós para determinar o grau de adesão. Visa a plantação de florestas com a participação dos usuários portadores dos Cartões de Abastecimento VERDE ASABRAS, que poderão ser empresas aéreas, proprietários, escolas e até o passageiro comum, que vai poder optar por uma empresa com SELO VERDE ASABRAS para realizar seus voos.

Além das enormes vantagens ambientais de nossas florestas, o aspecto social é amplamente contemplado. Nosso Projeto prevê três modelos de florestas: Mata Silvestre, para reposição de biomas naturais degradados. Mogno Africano, madeira nobre com reciclagem prevista para cada dezoito anos. E Seringueiras, para que assim como o Mogno, sejam florestas empregadoras de mão de obra e geradoras de riquezas. 

Nenhum outro programa de neutralização de emissões do mundo oferece tantas vantagens e conta com a participação direta dos usuários do setor. O “SELO VERDE ASABRAS” é primeiro e único a promover a sustentabilidade aliada interatividade e o social, fazendo da Aviação Brasileira um verdadeiro exemplo mundial.  



2 - DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, UMA SOLUÇÃO INTELIGENTE.


As empresas que pretendem investir em projetos no âmbito de desenvolvimento limpo e sustentável devem obrigatoriamente se adequar a soluções inovadoras voltadas as questões humanas e ambientais. Devem investir fundamentalmente em projetos que valorizem as contribuições sociais, a sustentabilidade empresarial e ambiental, as melhores condições de trabalho, a geração de empregos, a distribuição de renda, a capacitação e o desenvolvimento tecnológico, a integração com a comunidade, com clientes, fornecedores e outros setores de interação.

O monitoramento da perenidade de uma empresa pode ser medido através deste conjunto de ações sustentáveis, onde se apresentam como a melhor ferramenta para mensuração de seus valores ao longo de sua existência, garantindo benefícios para as comunidades ao seu redor e assegurando a longevidade da empresa. 



3 – POR QUE INVESTIR EM FLORESTAS?


A demanda interna e mundial por produtos de base florestal está aumentando de forma sólida e constante. O recurso necessário para atender essa demanda poderá advir de forma sustentável, apenas pelo intermédio do uso de florestas plantadas, com o objetivo específico de prover madeira certificada para fins industriais ou extrativistas

A aptidão para produção florestal do Brasil vem se confirmando e representando uma oportunidade clara de progresso econômico, social e ambiental. O setor florestal brasileiro demonstra uma enorme pujança, fruto de sua indiscutível competitividade em nível internacional. O Brasil destaca-se em função de seus expressivos programas de plantio, como também por deter praticamente todos os recordes mundiais de produtividade florestal. Essa realidade cria uma oportunidade única para as intenções de investimentos sociais, econômicos e políticos para as grandes empresas.

As empresas sabem hoje da importância que representa uma política verde, sabem que o comportamento efetivo e atuante nestas questões são um dos pilares de suas sobrevivências. Este Projeto possibilita com baixos investimentos, vantagens e oportunidades para produção florestal, com alta performance de produção de madeira e látex, com retorno econômico, social e ambiental.

No caso específico do "SELO VERDE ASABRAS", além da grande contribuição ambiental,  quase todo retorno do investimento se dará na área de marketing, criando um expressivo incremento de valor e posicionamento das marcas envolvidas e, uma evidente vantagem institucional inerente a ação.




4 – SEQUESTRO E CRÉDITO DE CARBONO


O conceito de sequestro de carbono foi consagrado pela Conferência de Kyoto, em 1997, com a finalidade de conter e reverter o acúmulo de CO2 na atmosfera , visando a diminuição do efeito estufa. E está sendo ratificado e seriamente assumido por toda comunidade internacional a partir da atual Conferência Mundial de Copenhague.

Os resultados do efeito Sequestro de Carbono podem ser quantificados através da estimativa da biomassa da planta acima e abaixo do solo, do cálculo de carbono estocado nos produtos madeireiros e pela quantidade de CO2 absorvido no processo de fotossíntese.

O CO2 é o gás que mais contribui para o aquecimento global. Suas emissões representam aproximadamente 55% do total das emissões mundiais de gases do efeito estufa. O tempo de sua permanência na atmosfera é, no mínimo, de 100 anos. Isto significa que as emissões de hoje têm efeitos de longa duração, podendo resultar em impactos no regime climático, ao longo dos séculos.

Evidências científicas apontam que caso a concentração de CO2 continue crescendo, a temperatura média da terra vai aumentar (entre 1,4 e 5,8 ° C até 2100), causando aumento no nível dos mares, efeitos climáticos extremos (enchentes, tempestades, furacões e secas), alterações na variabilidade de eventos hidrológicos (aumento do nível do mar, mudanças no regime das chuvas, avanço do mar sobre os rios, escassez de água potável) e colocando em risco a vida na terra.  Por isso as Mudanças Climáticas Globais (MCG) representam um dos maiores desafios da humanidade. Pois, além de ser um problema global - como o próprio nome diz, envolve vários setores da sociedade, necessita de uma tomada de consciência da importância da questão e exige mudanças em muitos hábitos de consumo e comportamento.

Estima-se que em 1998, o Brasil emitiu pelo menos 285 milhões de toneladas de carbono, das quais cerca de 85 milhões resultaram da queima de combustíveis fósseis (71% do uso de combustíveis líquidos e 15,6% da queima de carvão mineral, 4% de gás natural).

É sabido por todos que a aviação é um dos grandes vilões destas estatísticas. Este fato foi comprovado durante setembro de 2001, na ocasião dos atentados em New York, que com a paralisação de todos os voos no país, se constatou uma melhora expressiva na qualidade do ar, assim como a diminuição média da temperatura em quase dois graus centígrados. Isto prova também que o setor aeronáutico é um dos que mais pode colaborar na reversão deste quadro. E a Aviação Brasileira, com o "SELO VERDE ASABRAS", sai na frente mostrando ao mundo todo nosso potencial e real capacidade de contribuir para a reversão deste cenário.  



5 - O CICLO DE CARBONO E AS FLORESTAS


Os processos envolvendo fotossíntese nas plantas e árvores funcionam da seguinte forma: Na presença da luz, elas retiram o dióxido de carbono, usam o carbono para crescer armazenado na biomassa (folhas, tronco, raízes) e retornam o oxigênio para atmosfera. A neutralização de carbono por plantio de árvores ocorre pelo sequestro de carbono da atmosfera, que é fixado na biomassa da planta, ou seja, sequestrado do meio ambiente para ser fixado na planta. Uma árvore, em média, é capaz de sequestrar 15,6 quilos de CO2 por ano - isso facilita a determinação de quantas árvores serão necessárias para neutralizar as emissões de um determinado voo.

Com o cálculo da geração de gases de efeito estufa (GEEs) das operações de uma determinada empresa ou usuário, é possível realizar a quantificação de árvores necessárias para compensar as emissões de suas operações. 

O plantio de árvores é o método mais acessível, viável e barato para as empresas que desejam neutralizar as emissões de suas operações. 



6 - CENÁRIO GLOBAL


Geralmente, os métodos preferidos para redução das emissões por vários países são baseados em processos de melhoria da eficiência na utilização e na transmissão de energia, processos industriais e sistema de transporte. Outra alternativa é a substituição de combustíveis muito poluentes (carvão mineral ou diesel) por outros combustíveis menos ricos em carbono. O protocolo também considera a absorção de CO2 pela vegetação como um método para compensar as emissões, sendo um ponto interessante para países com aptidão florestal, pois também podem gerar outros recursos do setor florestal, trazendo consequências de ordem econômica, ambiental e social.

É sabido que a queima de combustíveis líquidos nos motores a pistão e a reação, representam valores consideráveis no aquecimento global e despeja na atmosfera diuturnamente o gás carbônico responsável por seus reconhecidos malefícios. Por este motivo as empresas europeias já saíram na frente em relação a esta compensação e já adotaram projetos semelhantes de reposição de CO2. Na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, esta questão se tornou uma preocupação do governo local em função do aumento do tráfego aéreo previsto. Já existem ações efetivas, por parte das empresas do setor aéreo e de governos, para execução de programas de compensação climática.

Como a maior parte das emissões de CO2 do Brasil provém de desmatamentos e queimadas, a maior contribuição do Brasil para a redução de emissões seria através do reflorestamento, do controle do desmatamento e das restrições as queimadas. Entretanto, devemos lembrar que em breve nosso transporte aéreo estará sobre o mesmo julgamento dos ambientalistas. Prova disso são as medidas já propostas pelo governo da França, para taxar pesadamente o transporte aéreo e, as pesquisas feitas pela Airbus para o desenvolvimento de motores a hidrogênio, para responder às pesadas pressões feitas pela comunidade Europeia. 

O Brasil tem no meio ambiente a sua maior riqueza. A preservação ambiental pode ser nosso maior agente social e institucional, cabendo somente a nós sair  na frente em uma tendência tão anunciada.

Sendo esta a maior aptidão do Brasil no atual cenário, estamos certos de que o "SELO VERDE ASABRAS" é o melhor investimento que nossos usuários e passageiros podem fazer para uma ação efetiva e pioneira em nosso país.



7 – O CENÁRIO DA COMPENSAÇÃO.


A falta de regulamentação, somada a indefinição jurídica e tributária tem levado diversos países a uma quase paralisação dos projetos de créditos de carbono. Estas questões causam uma insegurança que ameaça o desempenho do mercado de carbono e de ações de compensação, hoje vivemos um momento de grande expectativa por soluções enquanto assistimos inertes nossas florestas queimarem.  Estes fatos fazem com que o "SELO VERDE ASABRAS", primeira ação de sustentabilidade do segmento aeronáutico brasileiro, seja além de pioneira, um sucesso entre as iniciativas ambientais mais expressivas de de nosso país. 

Sabemos todos que plantar florestas não representa a solução para todos nossos problemas. Sabemos também que essa é só uma de muitas ações inevitáveis para que usuários e empresas adaptem seus comportamentos e modelos de negócios a sustentabilidade, mas é certo que uma ação como esta transforma, no atual panorama brasileiro, usuários e empresas de meros observadores a protagonistas de um futuro melhor para nosso planeta.    



8 - O PROJETO


Este projeto apresenta o detalhamento técnico para a viabilização de modelos de florestas sustentáveis, com o propósito de neutralização de emissões de carbono dos voos da Aviação Brasileira. Tem caráter ambiental e social, voltado à atender todos os segmentos de nossa aviação.  É um empreendimento de “Carbono Social no Mercado Voluntário”, a melhor e mais segura opção para os empreendedores de contribuição ao meio ambiente, uma vez que não há regulamentação formal neste específico mercado. 

Estão considerados neste Projeto os seguintes aspectos: objetivos, caracterização da área, mapas de localização, espécies florestais selecionadas, cronograma técnico de atividades, custos, manejo operacional, controle e ações após a implantação.  

Além das inúmeras vantagens ambientais, econômicas e promocionais, este projeto tem como grande atrativo os “Créditos Carbono” e o rendimento florestal, possibilitando ainda aos investidores um retorno financeiro de longo prazo. Esta vantagem será dimensionada de acordo com a proporção dos modelos de florestas plantadas, bem como o volume investido por cada parceiro.  



9 - OS OBJETIVOS


- Lançar uma campanha ambiental e social inovadora com diferencial impactante em momento oportuno. 

- Fazer da Aviação Brasileira uma pioneira no mundo em ações concretas ambientais e de sustentabilidade.

- Valorizar, promover e diferenciar as macas parceiras. 

- Aproveitar o forte apelo ambiental e social do projeto, para auxiliar as empresas aéreas brasileiras aumentarem a fidelização de seus clientes.

- Posicionar a ASABRAS como uma entidade válida, focada nos problemas prioritários de interesse da aviação e da sociedade brasileira.  


DEVOLVAM AS ASAS AO BRASIL
A Campanha Nacional da Aviação Civil "Devolva as Asas ao brasil", é uma ação popular que busca o apoio de toda a sociedade aeronáutica brasileira e do setor produtivo da aviação. Um esforço comum, com foco no estancamento do retrocesso imposto nos últimos anos, na recuperação da aviação geral no país e incentivo para a retomada da posição de destaque que o Brasil sempre ocupou na aviação mundial.

Contatos

  • ASABRAS - Campanha Nacional da Aviação Civil
  • Av. Presidente Vargas, 962, sala 1004
  • Rio de Janeiro - RJ - Cep
  • Fone: 21 2262-0936
  • Email: contato@asabras.org.br
  • Website: www.asasaobrasil.org.br