ASABRAS AWARD -


                                                                                      ASABRAS AWARD

No começo do Século XX. O homem partia para a conquista do ar através do “mais pesado que o ar”.

Balões e dirigíveis já eram um “fato consumado” mas faltava ao homem  “imitar os pássaros”.

Vários inventores dedicaram-se a este empreendimento, cada um seguindo sua própria intuição e utilizando os materiais disponíveis à época.

Otto Lilienthal já resolvera o problema do voo do “mais pesado que o ar” ao projetar e construir o primeiro planador com o qual realizou inúmeros voos. Dependia, no entanto, da energia do vento para sustentar-se.

O desafio era realizar o voo autônomo e para isto deveria ser construída uma máquina que suportasse um motor e que este motor tivesse potência suficiente para impulsionar uma hélice  capaz de tracionar ou empurrar a aeronave a uma velocidade que permitisse o voo sustentado.

Muitos tentaram: Hiran Maxim, Clement Ader com o ‘Morcego’, Samuel Langley com o “Aeródromo”, ainda no século XIX construíram máquinas que saíram do chão mas, carentes de estabilidade, quebraram-se ao voltar a ele.                

Carlos Jatho e Guilherme Kress, já neste século, não obtiveram êxito porque não dispunham de um motor com suficiente potência.

O mundo todo acompanhava as tentativas que se desenvolviam na Alemanha e na França. Não se tinha notícia de que em outros países alguém perseguisse o mesmo objetivo. Finalmente a corrida foi vencida por um brasileiro residente na França: Alberto Santos Dumont, em 1906, conseguiu voar e ser reconhecido por americanos, ingleses, franceses, alemães e vários outros povos, como o primeiro homem a voar com o mais pesado que o ar, por seus próprios meios.    


                                                                                      NOSSA PROPOSTA

À exemplo do que fez o Sr Ernest Archdeacon a mais de um século atrás, quando instituiu um prêmio que seria dado àquele que resolvesse o problema do “mais pesado que o ar”, lançaremos um desafio nacional com o objetivo de incentivar e premiar estudantes que desenvolvam novos produtos, serviços ou soluções criativas com aplicabilidades reais. Queremos motivar e premiar ideias inovadoras e práticas que contribuam ou aprimorem com um dos diversos setores da aviação nas categorias: "Tecnologia", "Infraestrutura", "Medicina Aeroespacial", "Segurança de Voo" e "Tema Dirigido" (indicado anualmente pela organização).

Os projetos  serão avaliados por uma Comissão de Avaliação, formada por conselheiros e diretores da ASABRAS, a mesma que também acompanhará e validará as inscrições. 

 Trata-se de um concurso anual de pesquisa científica e  tecnológica do setor aeronáutico, dirigido aos alunos das entidades de formação e universidades brasileiras de aviação, com a finalidade de criar novas soluções para o mercado. O resultado concreto dessa ação será o fomento de profissionais mais motivados e qualificados e, uma gama de novos produtos a custos reduzidos. O regulamento garante estas vantagens uma vez que exige aplicabilidade prática comercial, social ou de segurança aos trabalhos inscritos. 

 

             


 

                                                                                      REGULAMENTO 

  

   

- CAPITULO I - DO PRÊMIO 

  

ART. 1º. O Prêmio "ASABRAS AWARD" é uma iniciativa da "CAMPANHA DEVOLVAM AS ASAS AO BRASIL" e do Ministério da Ciência e Tecnologia, tem como objetivos estimular a pesquisa, revelar talentos, investir e incentivar estudantes e profissionais que possam ajudar nas soluções e alternativas dos problemas da aviação nacional e ainda, criar uma competição saudável na área do conhecimento e da cultura aeronáutica entre as universidades brasileiras e os Centros de Formação. 

  

ART. 2º. O Prêmio será atribuído a cinco categorias: 

1- Infraestrutura 

2- Tecnologia 

3- Medicina Aeroespacial 

4- Segurança de Voo 

5- Tema Dirigido 

§ 1º. A categoria "Tema Dirigido" terá o título escolhido anualmente pelo "Comissão de Avaliação". Tema este que deve ser de relevante importância para o desenvolvimento tecnológico e do interesse geral do segmento aeronáutico brasileiro.  

  

ART. 3º. O Prêmio é individual ou para grupos de até cinco estudantes da mesma entidade de ensino e, será oferecido anualmente a todas as categorias. 

  

ART. 4º. A premiação será intransferível e oferecida a somente um vencedor de cada categoria. 

  

ART. 5º. Será permitida somente uma inscrição anual em uma única categoria por candidato ou grupo. 

  

ART. 6º. O candidato ou grupo que tiver sua inscrição aceita de acordo com este regulamento receberá um Certificado de Participação, confirmando sua inscrição em até 30 dias da aceitação. 

  

  

  

- CAPÍTULO II - DA INSCRIÇÃO E ENTREGA DOS TRABALHOS 

  

ART. 7º. Para participar do prêmio "ASABRAS AWARD", os candidatos deverão ser alunos de uma das Universidades ou Entidades de Ensino (Escolas de Aviação) associadas ou parceiras da ASABRAS, ou associados individuais (Pessoa Física). No caso de grupo participante, todos os integrantes devem ser filiados a entidade associada ou parceira ou, todos do grupo devem ser associados (Pessoa Física).   

  

  

RT. 8º. A inscrição para todas as categorias incluirá necessariamente: 

   a) Perfil atualizado do(s) candidato(s) informando a Universidade ou Curso de Aviação matriculado, período e qualificação. 

   b) Descrição do trabalho concorrente abrangendo: especificações gerais e aplicabilidade no segmento aeronáutico, enquadrando-se entre uma das categorias do ART. 2º, podendo ser produto, serviço ou conceito de aplicabilidade comprovada.  

Nota: No caso dos projetos arquitetônicos, mecânicos ou físicos de qualquer natureza, devem se fazer acompanhar na entrega, um protótipo, maquete ou apresentação virtual que comprove a aplicabilidade no setor aéreo.

   c) Ficha de inscrição devidamente preenchida (modelo impresso do site). 

  

ART. 9º. No ato da inscrição, bem como no ato da premiação, os participantes ou entidades as quais pertencem, devem constar no Muro de Associados ou como parceiros colaboradores da "CAMPANHA DEVOLVAM AS ASAS AO BRASIL" 

  

ART. 10º.  As inscrições serão abertas até um ano antes da data marcada para a premiação, escolhida e previamente divulgada pela organização e aceitas até três meses (90 dias) antes da data marcada para premiação, sendo este período reservado ao julgamento a ser realizado pela "Comissão de Avaliação".  

  

  

CAPITULO III - DA COMISSÃO DE AVALIAÇÂO E CRITÉRIOS DE JULGAMENTO 

  

ART. 11º. A escolha dos vencedores será realizada por uma comissão única (Comissão de Avaliação) para todas as categorias. 

  

ART. 12º. A Comissão de Avaliação será composta no mínimo por sete membros técnicos, escolhidos obrigatoriamente entre os Conselheiros e Diretores da ASABRAS. 

  

ART. 13º. A comissão deverá avaliar e votar somente aos trabalhos que estejam de acordo com  todos os Artigos do Capítulo II deste regulamento.  

  

ART. 14º. Os trabalhos dos candidatos de todas as categorias serão avaliados seguindo os seguintes critérios: 

Contribuição e utilidade prática ou teórica na sua aplicação pela sociedade aeronáutica. 

Inovação e originalidade. 

Contribuição de conhecimento e solução na área aplicada. 

Qualidade da apresentação do trabalho. 

  

ART.15º. A decisão da Comissão de Avaliação será soberana, sem aceitação de recursos ou impugnações em qualquer fase do julgamento ou da premiação. 

  

ART. 16º. A Comissão de Avaliação não estabelecerá ranking ou classificação dos trabalhos inscritos. 

  

  

CAPÍTULO IV - DAS CONSIDERAÇÕES FINAIS 

  

ART. 17º. Os trabalhos e os documentos encaminhados a ASABRAS no ato da inscrição, não serão obrigatoriamente devolvidos. 

  

ART. 18º. Os concorrentes ao prêmio concordam com a eventual divulgação e publicação dos trabalhos, no todo ou em parte, pela organização do prêmio e pela ASABRAS para promoção ou possível aplicação, de acordo com os interesses e objetivos da "CAMPANHA DEVOLVAM AS ASAS AO BRASIL" 

  

ART. 19º. Os trabalhos farão parte de um "Banco de Projetos", administrado e divulgado pela ASABRAS e no caso de implantação comercial, os direitos autorais ou royalties, serão divididos entre o autor e a ASABRAS 

  

ART. 20º. No caso da premiação envolver viagens com visitas a outras cidades ou ao exterior, a ASABRAS não se responsabiliza por vistos, protocolos ou outros processos burocráticos que se façam necessários.  

  

ART. 21º. Os Vencedores comprometem-se a comparecer à solenidade de premiação, na qualidade de convidados da ASABRAS. O não comparecimento por motivo não justificado implicará na desclassificação automática do candidato, assumindo o prêmio o trabalho considerado o segundo melhor e assim sucessivamente.  

  

ART. 22º. Os candidatos vencedores comprometem-se a se adequar as datas estipuladas pela premiação, não sendo possível adequação a interesses individuais. 


ART. 23º. No caso de não comparecimento na premiação por motivos justificáveis, de acordo com o julgamento da 
 Comissão de Avaliação, serão aceitos representantes indicados por procuração específica e firma reconhecida. 

  

Parágrafo Único. Os casos omissos serão resolvidos pela comissão julgadora, ouvidas as entidades patrocinadoras e apoiadoras. 

DEVOLVAM AS ASAS AO BRASIL
A Campanha Nacional da Aviação Civil "Devolva as Asas ao brasil", é uma ação popular que busca o apoio de toda a sociedade aeronáutica brasileira e do setor produtivo da aviação. Um esforço comum, com foco no estancamento do retrocesso imposto nos últimos anos, na recuperação da aviação geral no país e incentivo para a retomada da posição de destaque que o Brasil sempre ocupou na aviação mundial.

Contatos

  • ASABRAS - Campanha Nacional da Aviação Civil
  • Av. Presidente Vargas, 962, sala 1004
  • Rio de Janeiro - RJ - Cep
  • Fone: 21 2262-0936
  • Email: contato@asabras.org.br
  • Website: www.asasaobrasil.org.br